Postagens

O Mito de Tirésias – Parte 2

Imagem
Olá, Lindas e Lindos!
Seguimos com a história de Tirésias! Como vimos no final da parte 1, ele acabou de ser transformado em mulher por Hera, como castigo por ter matado uma serpente fêmea enquanto ela copulava. Relaxa e Goza Atônita logo após ter sido transformada em mulher, Tirésias decide por fim rumar à cidade de Tebas. Lá, imaginava, ela poderia encontrar uma solução para reverter sua metamorfose.
Para garantir seu sustento, decidiu ser prostituta. Rapidamente tornou-se uma das mais famosas da cidade, capaz de garantir grandes prazeres a seus clientes.

A Mãe Com o tempo, apaixonou-se por um homem e fez dele seu marido. Dessa feliz união teve uma filha, Manto, uma criança mágica que tinha o dom da profecia. Vale a pena comentar que o nome “Manto” vem do grego mantis, que significa profeta ou vidente. Tirésias assim vivenciava a experiência de ser mãe.


A Bruxa
Por fim, como forma de encontrar a solução para seu dilema, Tirésias decidiu se tornar sacerdotisa de Hera. Acreditava que …

O Mito de Tirésias - Parte 1

Imagem
Olá, Fofas e Fofos!
Todos sabem que meu nome é Márcia Tirésias. Por outro lado, este não é o nome que está registrado em meus documentos, é claro. Trata-se de um nome inventado, um “nome artístico” (que chic!). Mas então, fica a dúvida...  Quase ninguém sabe por que eu escolhi “Tirésias” para sobrenome.

Ainda lembro da cara que a minha amiga Dudda Nandez fez quando contei que tinha bolado o “Tirésias” para mim... “Nossa, é muito estranho!!!”, ela disse. Realmente, era uma sonoridade bem diferente, mas eu cismei que tinha que ser aquilo!
A verdade é que Tirésias é um personagem da mitologia grega, provavelmente um dos primeiros da História com a característica peculiar de ser transgênero. Sim, meus lindos: muito antes de qualquer novela da TV, qualquer romance da Virginia Woolf, antes dos estudos de Magnus Hirschfeld e Judith Butler, já havia transgêneros por aí... Eu sempre fui apaixonada pela história antiga de Grécia e Roma e isso fez com que esse personagem mitológico me atraísse…

A Lista do Bem

Imagem
Olá, meus amores!

Há algum tempo, em minha página do Facebook...
Fan Page Márcia Tirésias
... fiz uma lista de locais onde fui bem atendida e tratada com respeito. A ideia era ajudar as amigas travestis a escolher um bom lugar para ir quando montadas e também incentivar os estabelecimentos a manterem uma atitude positiva e saudável junto à população transgênero.
O retorno foi bacana! Duas empresas até curtiram minha publicação: a administração do Mooca Plaza Shopping e a franquia de bijuterias MyGloss. Achei que valeu a pena a iniciativa e por isso decidi continuar. Hoje vou complementar a lista com mais dois lugares bacanas que valem a pena visitar!
Restaurante Mestiço http://www.mestico.com.br/

Este é um restaurante bem conhecido da população LGBT. Fica na rua Fernando de Albuquerque, uma travessa da Consolação.
O cardápio é bem maluquinho, mistura culinária brasileira tradicional com tailandesa. O ambiente é bem cuidado e bem decorado. Além disso, a charmosa mobília de madeira dá a …

A História por trás da história das Divinas Divas

Imagem
Olá, meus amores!! 😍😎 Hoje vamos falar de cinema...

Ouça as músicas do filme enquanto lê o artigo!
Na última quinta-feira, dia 22/06, estreou no Brasil o filme Divinas Divas, de Leandra Leal. É um documentário que fala de oito artistas travestis que faziam shows no Teatro Rival do Rio de Janeiro (pertencente à família de Leandra) nos anos 60 e 70. Rogéria, Jane Di Castro, Marquesa, Eloína dos Leopardos, Divina Valéria, Camille K., Fujika de Holliday e Brigitte de Búzios, já idosas, são as estrelas.

Para entender a origem do filme, vale a pena recuar para a década passada. Em 2004, para celebrar 70 anos da fundação do teatro, foi organizado um espetáculo chamado Divinas Divas, com todas as travestis mencionadas acima. A escolha do tema não foi por acaso: era uma homenagem àquelas artistas que sustentaram o funcionamento do Teatro Rival em alguns de seus piores anos, no auge repressivo da ditadura militar.
O espetáculo comemorativo fez enorme sucesso e durou dez anos. Em 2014 foi real…

O que Pink Floyd e Crossdressing tem a ver? Tudo!

Imagem
Meus amores, em março deste ano fez aniversário de cinquenta anos a canção Arnold Layne, o single que em 1967 rapidamente atingiria o Top 20 britânico e marcaria a ascensão de uma de minhas bandas mais queridas, o Pink Floyd!
Do Pink Floyd não preciso falar muito: é um dos grupos mais bem-sucedidos da História do Rock, contando com legiões de fãs no mundo todo (eu incluída). Foi um dos criadores dos chamados Rocks Psicodélico e Progressivo, e alguns de seus álbuns, como The Dark Side Of The Moon, são considerados obras-primas eternas. Arrisco até a dizer que, daqui a alguns séculos, algumas músicas deles serão ouvidas da mesma forma como hoje ouvimos música clássica de séculos passados.
Entretanto, o que poucos sabem sobre eles é que, em seu início de carreira, cinquenta anos atrás, seu debut single teria como tema o Crossdressing, ou seja, o ato de se vestir com roupas do gênero oposto. O personagem Arnold Layne, que dá título à canção, é um rapaz que rouba lingerie dos varais das c…